Categoria : Comunicação

Home/Arquivos por Categoria Comunicação

Folha de S.Paulo Deixa de Publicar Conteúdo no Facebook

A Folha de S.Paulo deixa de publicar seu conteúdo no Facebook nesta quinta (8). O jornal manterá sua página na rede social, mas não mais a atualizará com novas publicações. A decisão é reflexo de discussões internas sobre os melhores caminhos para fazer com que o conteúdo do jornal chegue aos seus leitores, preocupação que consta do novo Projeto Editorial da Folha, divulgado no ano passado.

Leia Mais

SpaceX Lança Carro da Tesla ao Espaço no ‘superfoguete’ Falcon Heavy

Em clima de show, a SpaceX lançou um carro Tesla Roadster ao espaço nesta terça-feira (6). O evento é considerado o principal teste do novo foguete jumbo Falcon Heavy, que deverá ser classificado como o mais potente do mundo e o veículo espacial mais poderoso a ser lançado dos Estados Unidos desde os foguetes Saturn 5, da Nasa, que transportaram astronautas para a lua 45 anos atrás.

SEO: Google Começará a Eliminar Páginas Lentas do Seu Canal de Busca

Atualmente, o acesso a inúmeros sites vem acontecendo a partir de dispositivos mobile, que muitas vezes possuem conexão mais lenta do que notebooks e PCs. Para que a experiência do usuário seja a melhor possível, o Google começará a eliminar as paginas que obtiverem resultados aquém do esperado quanto ao carregamento.

O fenômeno streaming e a soberania dos games.

A força do streaming já é uma realidade e a TV tradicional vem acompanhando de perto. No entanto, é entre as próprias empresas que oferecem este serviço que o bicho pega. Isso pode comprovado em um relatório recente disponibilizado pela SuperData Research. A surpresa? Os vídeos de games ainda são os maiores detentores de audiência, batendo até mesmo o Netflix.

Leia Mais

Bob’s inaugura loja 100% digital em Recife

17A Rede Bob´s inaugurou em Recife sua segunda loja 100% digital no Brasil e a primeira da rede na região Nordeste – a primeira fica localizada no Rio de Janeiro. No novo modelo, todos os pedidos serão feitos pelo terminal de autoatendimento ou pelo aplicativo da marca. A novidade tem como objetivo trazer mais conveniência, agilidade e permitir a customização dos pedidos.

Leia Mais

Agora é possível assistir séries e filmes da Netflix sem internet

Netflix anunciou no seu Twitter que agora é possível ver as séries e filmes do catálogo completamente offline, ou seja sem internet. A novidade já chegou e para ter acesso basta atualizar o app da empresa no seu smartphone ou tablet com Android ou iOS.

Vale ressaltar que o catálogo completo ainda não está disponível, mas as séries e filmes originais como Orange is The New Black, Narcos e The Crown já estão lá para download. A novidade está sendo liberada aos poucos, então se você não encontrar a função logo de cara… “tente novamente mais tarde”.

pasted-image-0-1

photo430128356536724449

Não será cobrada nenhuma taxa adicional para usar o serviço, mas é necessário ter um aparelho com iOS 8 (ou superior) ou um Android com a versão 4.4.2 (ou superior).

O tamanho de cada download varia de programa para programa. Você pode gerenciar seus downloads na aba “My Downloads” do aplicativo da Netflix.

Fonte: Jovem Nerd.

Leia Mais

Por que devemos estar nas mídias sociais?

É por meio de procedimentos sistemáticos de análise da utilização das mídias sociais que a pesquisa de mercado pode inferir conhecimentos relativos a expectativas e tendências de consumo

Não é novidade que hoje as mídias sociais possibilitam a conexão das pessoas, a quebra das barreiras geográficas e uma reconfiguração do tempo e do espaço nas relações entre os seres humanos. Para completar, se pensadas num patamar mercadológico, o seu potencial se estende à identificação comportamental, à localização geográfica e à viabilização da conectividade entre indivíduos com interesses semelhantes – que, agrupados nestes espaços, estão revelando o que fazem, pensam e querem.

Do outro lado, temos a pesquisa de mercado preocupada em construir cenários projetivos a partir de radiografias de consumo, e de comportamentos que gerem consumo. Portanto, é também por meio de procedimentos sistemáticos de análise da utilização e consumo das mídias sociais, da sua dinâmica, das formas de utilização, das micro comunicações interpessoais cotidianas disponíveis, que a pesquisa de mercado pode inferir conhecimentos relativos a expectativas mercadológicas, propensões/tendências de consumo e percepções que mobilizam tais usuários-consumidores.

É justamente nesse lócus que vemos a “economia da recomendação” influenciar tendências, padrões de comportamento, desejos e atitudes de consumo de toda a gama de produtos disponíveis no mercado, resultando numa compreensão de tipos e expectativas de consumo a partir das trocas simbólicas que ocorrem nas redes socais. São os fãs, os amigos e os seguidores que, muitas vezes, ditam o “tom” do consumo.

A análise das mídias sociais e a sua regulamentação simbólica revela como os consumidores tem consciência de pertencimento a determinado grupo social. Se fizermos um link com o que disse Freud, que o que une os indivíduos em um grupo é uma identificação em torno de um objeto de amor, um grupo se configuraria em “[…] um certo número de indivíduos que colocaram um só e mesmo objeto no lugar de seu ideal de ego e, consequentemente, se identificaram uns com os outros em seu ego.” Em síntese: as pessoas gostam de estarem juntas para declararem “amor” ou “ódio” pelas marcas… e as redes socais potencializam, enormemente, isso!

Nesse cenário, das interações, compartilhamentos e utilização das mídias sociais e de suas camadas digitais de dados comportamentais, a observação desponta como uma peculiar ferramenta que auxilia na compreensão e na produção de radiografias dos contextos que pautam o mercado e a forma de se consumir na contemporaneidade.
A meu ver a premissa básica a ser considerada nesse cruzamento e incorporação entre o conhecimento dos consumidores (e seu comportamento de consumo) e as mídias ditas sociais é o fato de que, em todos os tempos, as atividades desenvolvidas pelos homens sempre estiveram relacionadas aos locais onde estes estavam. E se as pessoas estão nas redes sociais, falando, compartilhando, postando e informando é lá que também devemos estar para desvendarmos seus interesses, comportamentos e aspirações.

*Artigo produzido por: Diego Oliveira
Youpper Consumer & Media Insights

Fonte: Meio & Mensagem

Rede social Vine chega ao fim

O Twitter vai descontinuar o Vine e acabar com o app oficial. Descanse em paz, Vine. O anúncio, postado no Medium, veio pouco depois de o Twitter anunciar seus mais recentes resultados financeiros trimestrais.

• Os astronautas da Estação Espacial Internacional criam os melhores vídeos para o Vine
• O primeiro Vine do espaço sideral acompanha uma órbita da Terra em seis segundos

O app do Vine vai ser encerrado “nos próximos meses”, mas os Vines já criados continuarão existindo.

Do post feito no Medium:

Nada vai acontecer aos apps, site ou seus Vines hoje. Valorizamos você, seus Vines, e vamos fazer isso da forma certa. Você vai poder acessar e baixar seus Vines. Vamos manter o site online porque achamos que é importante continuar podendo assistir a todos os Vines incríveis que foram criados. Você será notificado antes de fazermos qualquer mudança ao app ou site.

Adquirido pelo Twitter antes do lançamento em 2013, o Vine ajudou a dar início à moda dos vídeos curtos que continua existindo hoje em apps como Snapchat e Instagram.

É uma péssima notícia para os criadores de conteúdo do Vine, muitos dos quais conseguiram transformar isso em uma carreira real (como Shawn Mendes). E isso também mostra como as coisas andam ruins no Twitter, que sofre para fortalecer um produto que tinha cerca de 200 milhões de usuários mensais (ou, ao menos, espectadores).

Em notícias provavelmente relacionadas, o Twitter vai demitir 9% dos seus funcionários.

[Medium]

Foto por Esther Vargas/Flickr

Fonte: Gizmodo Brasil

Jovens assistem mais YouTube do que TV nos EUA

Apesar da virada da plataforma do Google, Netflix é o serviço de vídeo preferido dos jovens do país

Uma pesquisa do banco de investimento norte-americano Piper Jaffray apontou que pela primeira vez a porcentagem de jovens dos Estados Unidos que assistem diariamente ao YouTube ultrapassou a mesma porcentagem para TV a cabo.

Apesar da virada, o YouTube permanece no segundo lugar entre as plataformas de vídeo preferidas dos entrevistados. O campeão Netflix é assistido diariamente por 37% dos jovens.

A metodologia da pesquisa, no entanto, não considera o tempo que os jovens permanecem assistindo cada uma dessas telas. Segundo dados do YouTube publicados em matéria do Meio & Mensagem, o brasileiro assiste em média 8,1 horas semanais de conteúdo na plataforma, enquanto passa cerca 21,9 horas por semana em frente à TV tradicional.

Nas redes sociais, o Snapchat liderou a pesquisa da Piper Jaffray: 37% dos jovens acessam a rede diariamente. Em seguida vem o Instagram, enquanto Twitter e Facebook empatam na terceira posição.

Além da mídia digital, a pesquisa do Piper Jaffray também aponta comportamentos e hábitos de consumo do jovem dos Estados Unidos em segmentos como moda, alimentação e games.

Fonte: Meio & Mensagem

Google anuncia recurso que checa veracidade de notícias

Com certeza você já caiu em alguma ‘notícia pegadinha’ dessas que todo mundo começa a compartilhar e, mesmo quando é desmentida, já é tarde demais: a mentira já se espalhou por todos os cantos. Pois infelizmente a internet tem o poder de perpetuar informações, mesmo que não sejam verdadeiras.

Para ajudar a evitar este inconveniente do mundo moderno, o Google acaba de anunciar um recurso que verificará a veracidade das notícias. O “Fact Check” ajudará o internauta que utiliza o Google Notícias a identificar tanto a informação de qualidade quanto boatos e notícias falsas.

O mecanismo funcionará por meio de uma tag que criadores de conteúdo poderão aplicar às informações que liberam na Internet e haverá monitoramento para que fontes falsas de informação não utilizem o “fact check” para enganar o leitor.

Claro que isso pode não impedir que histórias falsas apareçam no Google News, mas vai tornar muito mais difícil.

O novo recurso por enquanto está disponível apenas para usuários do Reino Unido e Estados Unidos.

* Todas as fotos: Reprodução

Fonte: Hypeness

Me chame no Whatsapp Agora!